29/08/2008

Campanha SPAD - Hiper Sá São Martinho



A SPAD irá fazer uma campanha de recolha de alimentos e de outros utensílios, necessários à limpeza, higiene e bem-estar dos animais, no Hiper Sá em São Martinho, durante os dias 29 e 30 de Agosto de 2008.

In http://spadfnc.blogspot.com/

Apelo a todos que passem por lá e colaborem nesta campanha, já que não custa nada contribuir com algo que para nós é simbólico e que possa fazer no entanto as delícias dos nossos fiéis amigos :)

26/08/2008

Um oceano de plástico :(

Acho extremamente importante passar esta mensagem, pois dá-nos uma percepção real do que se anda a passar e do resultado de muita negligência e descuido das pessoas.

Servem fundamentalmente para repensarmos nos nossos valores, conduta e principalmente o nosso papel face ao ambiente em que vivemos.

Durabilidade, estabilidade e resistência a desintegração.

As propriedades que fazem do plástico um dos produtos com maiores aplicações e utilidades ao consumidor final, também o tornam um dos maiores vilões ambientais. São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e cerca de 10% deste total acabam nos oceanos, sendo que 80% desta fração vem de terra firme.



No oceano pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros . Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos. Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos!!



O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.


Tartaruga deformada por aro plástico A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental. Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. 'Como foi possível fazermos isso?' - 'Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo'. Pesquisadores alertam para o fato de que toda peça plástica que foi manufaturada desde que descobrimos este material, e que não foram recicladas, ainda estão em algum lugar. E ainda há o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer, em algumas áreas do oceano pacifico podem se encontrar uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha.
Segundo PNUMA, o programa das nações unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinha todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes.
E para piorar essa sopa plástica pode funcionar como uma esponja, que concentraria todo tipo de poluentes persistentes, ou seja, qualquer animal que se alimentar nestas regiões estará ingerindo altos índices de venenos, que podem ser introduzidos, através da pesca, na cadeia alimentar humana, fechando-se o ciclo, na mais pura verdade de que o que fazemos à terra retorna à nós, seres humanos.

Testemunho de um reencontro emocionante...

Além da fidelidade canina, há também aparentemente a "leonina" :)

Arrepiante, diria mesmo!

video

SPAD presente no recinto da Mostra Canina "Funchal 500 Anos"



PROGRAMA

Dia 14 de Agosto

14.30 horas - Início das inscrições nos seguintes locais:
S. P. A. D. (Sociedade Protectora dos Animais Domésticos)
- Rua do Matadouro, 10 A
- VETFUNCHAL Calçada da Cabouqueira, 61

Dia 03 de Setembro

20.00 horas - Encerramento das inscrições.

Dia 06 de Setembro

14.30 horas - Recinto da mostra (Jardins do Lido)
Abertura do Secretariado junto á mesa do Júri e aceitação de inscrições de última hora até ás 15.00

15.00 horas - Demonstração da Brigada Cinotécnica da G. N. R. / Madeira

15.30 horas - Chamada dos concorrentes e início do desfile/apreciação pelo Juiz.

17.30 horas - Demonstração de obediência canina do"DOGGY CLUB" - Centro de Treino para Cães de Pedro Araújo - Campeão de Portugal da modalidade.

18.15 horas - B.I.S. (Best in Show) Atribuição de Prémios e consagração dos vencedores.
Final da Mostra Canina "FUNCHAL 500 ANOS"

NOTA: São admitidos todos os canídeos de raça pura ou sem raça definida (S.R.D.) dos 4 meses aos 10 anos de idade, desde que sejam portadores de boletim de vacina a comprovar no acto da inscrição.

In http://spadfnc.blogspot.com

Mostra canina especial


Dois dos cães que participaram na mostra canina do ano passado.

Na mostra podem participar cães de raça pura e cães sem raça definida com vacinas em dia

As inscrições para a 'Mostra Canina Funchal 500 anos' decorrem até ao próximo dia 3 de Setembro.

Aquela que deveria ser a quarta edição do evento tem este ano um cariz especial, porque se associa aos 500 anos da cidade. Por essa razão, o programa foi também melhorado e inclui uma demonstração da Brigada Cinotécnica da GNR Madeira e uma demonstração de obediência canina do "DOGGY CLUB", Centro de Treino para Cães de Pedro Araújo, campeão de Portugal na modalidade.

José Carlos Gomes, responsável pela mostra e também dirigente da Sociedade Protectora dos Animais Domésticos, não esconde que, para além do espectáculo, estas iniciativas têm como objectivo alertar a população para a necessidade de respeitarem os direitos dos animais. O cão e o gato devem ser encarados como mais um membro da família que tem de ser tido em linha de conta pelo período de 15 anos (duração média da vida de um cão). Não devem, por isso, ser abandonados à sua sorte só porque os donos vão de férias, ou por outras razões.

José Carlos Gomes diz que as gerações mais jovens são o público alvo destes alertas, pois são elas a esperança num futuro melhor, com menos abandonos e menos atropelos aos direitos dos 'amigos de quatro patas'.

Numa ilha em que o abandono continua em crescendo, José Carlos Gomes entende, no entanto, que existe uma melhoria na forma como a população olha para os animais. Os abandonos, explica, estão ainda muito relacionados com aquilo a que chama de danos colaterais do desenvolvimento e do progresso. Famílias que viviam em casas com quintal e tiveram de mudar-se para apartamentos. Com dois ou mais cães viram-se obrigados a abandoná-los. Atitudes que, contudo, devem ser evitadas.

Por isso, continua a apelar no sentido de uma maior responsabilização, que passa pelo registo dos animais, pela esterilização para evitar ninhadas indesejadas e pela colocação do microchip, que a lei agora exige. Se estes preceitos forem cumpridos, acredita que os abandonos vão cessar. As inscrições para a participação na Mostra Canina deste ano devem ser feitas atempadamente e até ao próximo dia 3 de Setembro, pelas 20 horas. As mesmas podem ser efectuadas na SPAD ou na VETFUNCHAL.

No dia 3 de Setembro, a mostra terá lugar nos jardins do Lido.São aceites todos os canídeos de Raça Pura e Sem Raça Definida (SRD) entre os 4 meses e os 10 anos de idade, desde que possuidores de vacinas em dia a serem comprovadas no acto da inscrição.Será atribuído um prémio de presença a todos os concorrentes e ainda ao melhor exemplar de cada grupo, para cães de raça pura.
Condecorados serão também os 5 melhores exemplares da Mostra, para cães de raça pura, e os 3 melhores Exemplares da Mostra para Cães Sem Raça Definida ( S.R.D. ).
Estão ainda contemplados prémios para o melhor cachorro (até aos 6 meses) e para o melhor jovem (dos 7 aos 15 meses).Serão também entregues posteriormente certificados de presença a todos os concorrentes.

As mostra tem como promotores a Câmara Municipal do Funchal e a Empresa Frente MarFunchal. Conta com o apoio do Clube Português de Canicultura, Diário de Notícias e J. Faria & Filhos, Lda. Os patrocinadores oficiais são as VESPAS e MAMEPE.



dnoticias.pt - 26/08/08

25/08/2008

Ainda sobre o enforcamento..

Desconhecia a existência desta carta mas afinal tudo leva a crer que a besta de quem se fala tenha efectivamente nome e como tal, esteja já identificada.

Havendo provas concretas deste acto incompreensível, nada mais resta a meu ver senão chamar o "ex-agente" a contas.

Haja fundamentalmente justiça!!!

Onde estão os direitos dos animais?

Nesta terra do povo superior quem são as bestas?

No passado mês de Março, ao chegar do trabalho, encontrei dois cachorrinhos abandonados. Um deles ainda nem tinha os olhos abertos. Levei-os para casa. Eles cresceram, eram lindos, mansos.

A minha casa está em obras e se durante muito tempo não se aventuraram fora, nestes últimos dias têm saído. Terça quando acordei, não os vi e fui procurá-los. Procurei-os por toda a parte.

Acabei por encontrá-los numa cena macabra. Tinham sido enforcados! Foram a um galinheiro, mataram algumas galinhas (não sei quantas) e a besta do dono apanhou-os e em vez de me chamar para pagar as galinhas e falar comigo, enforcou-os e deixou-os pendurados pelo pescoço, num gancho! A besta tem nome: José Carvalho Spínola! Mora no Caminho das Voltas! É mais conhecido pelo genro de José Ladrão e não são os primeiros cães que mata! Com veneno, à paulada e agora enforcados! A besta é reformada da P.S.P! Continua impune! Até quando?.

Casos do dia - Cães enforcados em galinheiro

A minha alma fica parva com tamanha estupidez e crueldade.

Não há adjectivos que qualifiquem este acto tão despropositado e hediondo. Fico horrorizada com este tipo de notícia, que só vem de facto reforçar a ideia que esta "gente" não merece o ar que respira e deviam ser eles próprios condenados de forma idêntica.

A meu ver, o pagamento de uma contra ordenação é demasiadamente brando para quem comete este tipo de crime maquiavélico. Ainda para mais tendo em causa que o alegado criminoso foi em tempos um agente da autoridade. DA AUTORIDADE!?!?!?
Será nesta "autoridade" que deveremos confiar a nossa segurança? Profundamente lamentável....

Se o Sr. em causa não mais tem que fazer, que vá jogar ás cartas ou coleccione selos, mas que deixe viver quem tem tanto esse direito como ele próprio.
Enfim, tenho dito!

Dois cães foram enforcados na passada terça-feira tendo a "cena macabra" sido testemunhada pela própria dona dos animais.

Maria da Luz contou que a casa onde reside, no Caminho das Voltas, está em obras e na passada terça-feira quando acordou não viu os dois animais na sua residência.
Decidiu procurá-los. "Acabei por encontrá-los numa cena macabra. Tinham sido enforcados", contou não deixando de se mostrar horrorizada com o que assistiu.

Maria da Luz adiantou também que um indivíduo, conhecido na zona por praticar actos de malvadez a animais (envenenamentos e agressões à paulada), não terá gostado que os cães fossem atacar as galinhas. E para mostrar reprovação pelo acto "deixou-os pendurados por um gancho" no interior do galinheiro, adiantou.

A queixosa disse ainda que o alegado agressor é reformado da PSP e sempre que tem animais doentes "como não tem paciência para cuidar" abandona-os junto a um tanque também situado no Caminho das Voltas.

A senhora ainda pensou registar o momento através da câmara do telemóvel, para que servisse de prova, mas no momento ficou em estado de choque que não conseguiu ter forças para registar a cena.
Maria da Luz vai apresentar queixa hoje na Sociedade Protectora de Animais Domésticos (SPAD) através do preenchimento de um formulário de denúncia e maus tratos em animais.

Depois a SPAD encaminhará a queixa às autoridades competentes para que sejam tomadas as medidas adequadas.A se confirmar a autoria da agressão aos animais o indivíduo incorre no pagamento de uma contra-ordenação que está regulamentada na Lei.

Dnoticias - Casos do dia 25/08

19/08/2008

Cadela caída hoje de uma carrinha no Stº da Serra


Esta pequenina e amorosa cadela, caiu hoje de manhã de uma carrinha de caixa aberta na zona do campo de golfe do Santo da Serra.

Felizmente e logo atrás vinha um casal de turistas que a recolheu e levou-a para a PSP de Machico. Face ao ocorrido, a PSP pediu a colaboração da Câmara e prontamente um elemento de lá entregou-a na SPAD.

Tudo leva a crer que os donos não se tenham apercebido do ocorrido e se for o caso, a esta altura não farão a mínima ideia do paradeiro desta "farrusca". Faço figas para que os donos a vão lá buscar bem depressa e que ela retorne ao seu lar o quanto antes.Não custa passar a palavra...

Mais de 2.000 animais abandonados



Do dia 1 de Agosto até às 13 horas de ontem, a SPAD já tinha recebido162 animais

Até ao princípio da tarde de ontem, a marca do total de animais abandonados em 2007 já estava quase a ser ultrapassada.

Segundo as contas feitas pela SPAD (Sociedade Protectora dos Animais Domésticos), no ano passado chegaram à instituição 2.381 cães e gatos. Entre o dia 1 de Janeiro deste ano e até às 13 horas de ontem, a SPAD já tinha recebido 2.007 animais. "E ainda nem terminámos o mês de Agosto", diz Micaela Rebelo Quintal, vice-presidente da instituição.

Segundo explicou ao DIÁRIO, neste ano o número de abandonos tem aumentado exponencialmente. E acrescenta: se em Julho de 2007 a SPAD recebeu um total de 120 animais, em Julho deste ano o número de abandonos atingiu os 335. Em Agosto do ano passado, foram 208 os cães e gatos recebidos pela SPAD. Entre o dia 1 de Agosto e as 13 horas de ontem, o número de abandonos já atingia os 162. "E hoje [ontem] à tarde já entraram mais animais", refere.

Cães, gatos, animais de raça e algumas ninhadas continuam a chegar à SPAD todos os dias. Micaela Rebelo Quintal apela para que as pessoas só tenham animais quando realmente tiverem condições para os ter. "Ter um animal não pode ser uma decisão tomada só para uma fase, um mês ou um ano", sublinha.

Além disso, a vice-presidente da SPAD apela a que os detentores de animais "sejam mais responsáveis", e exemplifica: "Não façam reprodução de forma leviana, nem deixem os animais na via pública sem acompanhamento".As pessoas que têm animais devem-se convencer que é melhor esterilizá-los, refere. "Se não têm os animais esterilizados (no caso das fêmeas) ou castrados (no caso dos machos), não devem deixá-los sair à rua sem serem acompanhados", diz a responsável.

Além de um animal sozinho na via pública ser logo considerado vadio ou errante, se não estiver esterilizado corre sempre o risco de ficar prenhe de um animal vadio ou então de emprenhar um cão ou gato errante. "Muitas das cadelas vadias que nos chegam ficam prenhes de outros cães vadios, mas também de cães com dono", sublinha. Se os detentores dos animais não tiverem possibilidades económicas para os esterilizar devem pedir ajuda ou à SPAD ou a algumas clínicas veterinárias que por vezes desenvolvem campanhas gratuitas.

A preocupação actual é de que se as pessoas continuarem a abandonar animais ao ritmo que o têm feito até à data, Micaela Rebelo Quintal não tem dúvidas de que 2008 será um ano negro. "Assim não vamos a lado nenhum", desabafa. Resta que tenham mais consciência e que tentem travar os abandonos nos meses que faltam para terminar o ano.
dnoticias.pt
Palavras para quê?!? É frustante e altamente desapontante para mim estar ciente destes números avassaladores que verão após verão tendem a se manter/crescer.
É lamentável que os madeirenses continuem a fazer más opções quando acolhem temporariamente um animal, muitas vezes em prol das crianças que teimam naquele momento em tê-los.
Depois crescem e subitamente tornam-se desinteressantes....ou querem ir de viagem e não têm onde e com quem deixá-lo. Por puro comodismo, insiste-se em deixá-los á porta de alguém...quando não são em plenas vias rápidas á mercê da sorte (ou da falta dela)
Madeirenses: EVOLUAM!!! Dêem valor á vida de um animal pois podem estar certos que ninguem mais vos será tão fiéis como eles!!!!

18/08/2008

GOLDEN RETRIEVER para venda‏





Nascidos a 03-07-2008 estão já vacinados e desparasitados.
Sem LOP apesar de ambos os pais o terem, são excelentes cães de companhia, afáveis, carinhosos e muito inteligentes.
Disponíveis para adopção a partir de 23 de Agosto :)


Contacto: Duarte Sá - 963972814

14/08/2008

Bombeiros recolhem animais abandonados

Os Bombeiros Municipais do Funchal foram chamados ontem, ao início da manhã, à mata da Nazaré para recolher uma cadela e as suas crias que foram abandonadas naquele local.

O acesso ao local onde estavam os cães da raça 'Chau Chau' era de difícil acesso porque se encontravam debaixo de uma pedra.

Apesar de se ter revelado uma tarefa bastante árdua e complicada, os dois elementos da corporação acabaram por conseguir recolher os animais e entregá-los aos cuidados da Sociedade Protectora dos Animais Domésticos (SPAD). Não é a primeira vez que na mata da Nazaré há pessoas a insistir em deixar cães abandonados.

Um cão de raça 'Husky' desapareceu na tarde do passado sábado de uma casa situada nas imediações da Quinta das Cruzes.

O animal, que dá pelo nome de 'Balu', tinha como hábito passear nas redondezas mas os proprietários estranharam a demora em regressar a casa.Tentaram saber do paradeiro do cão mas, apesar dos esforços, não conseguiram obter qualquer informação.

O cão tem pêlo branco e na altura do desaparecimento usava uma coleira às riscas (branca, rosa e verde). O animal de um ano e meio tem o microchip de identificação e a SPAD já está a par do desaparecimento.

dnoticias.pt

Esgana: A Peste dos Cachorros



É uma das doenças mais letais em cães e altamente contagiosa.
Uma autêntica praga, a Esgana é um dos maiores pesadelos de criadores e donos de cachorros. Não se transmite ao Homem mas a sua prevalência nas nossas populações caninas seria devastadora, não fosse a eficácia da vacinação.

Altamente contagiosa, a Esgana é causada pelo Morbilivirus, vírus muito resistente ao frio pelo que a maioria dos casos de doença ocorrem no Outono e Inverno embora os animais estejam susceptíveis durante todo o ano. A taxa de mortalidade é elevada e atinge cerca de 50% dos animais afectados, especialmente cachorros.

Foi de longe a doença fatal mais comum em cães durante a primeira metade do século XX. A primeira vacina só apareceu nos Estados Unidos nos anos 40 e foi evoluindo na sua eficácia o que muito contribuiu para a diminuição da ocorrência desta doença nas populações caninas do mundo ocidental. Não é exclusiva dos cães e pode atingir espécies tão variadas como o lobo, o coiote, a raposa, o lince, o leão, a doninha e o gato embora nesta última o vírus seja diferente.

A doença é mais conhecida por afectar o cão doméstico, em que ocorre muito frequentemente e é normalmente letal causando graves prejuízos de foro emocional e económico ao dizimar ninhadas inteiras.

Transmissão

Ocorre por todas as vias possíveis: aerossóis, contacto directo entre cães e, possivelmente, através objectos contaminados. Pensa-se que o contacto com corrimentos nasais contendo o vírus é a forma de contágio mais frequente. Os viriões são eliminados nas fezes, urina e secreções de animais doentes e, raramente, de portadores sãos. Existem alguns casos que provam a transmissão transplacentária. A porta de entrada do vírus no organismo é normalmente o trato respiratório superior ou a ingestão de material contaminado.

Depois de entrar pelo nariz, o vírus dissemina-se pelas amígdalas e linfonodos regionais onde ocorre a sua replicação. Em 2 a 5 dias todo o tecido linfático do organismo pode estar afectado. Esta fase pode ser assintomática. Do 6º ao 9º dia o vírus entra em fase de virémia (em circulação no sangue), alojando-se de seguida nas células da superfície pulmonar, intestinal e da bexiga, de onde será excretado para o exterior e infectará novo hospedeiro.

Assim, a fase em que um cão começa a transmitir a doença a outros começa cerca de uma semana depois de ele próprio ter sido infectado. Nesta altura o vírus pode também alojar-se em células do sistema nervoso e provocar descoordenação motora, tremores e até paralisia. Há também excepções em que as sequelas nervosas só se manifestam mais tarde, até 3 meses depois do desaparecimento dos sintomas.

Sinais Clínicos

A doença existe em todo o mundo e são sempre os cachorros entre os 3 e os 6 meses, que já perderam a imunidade maternal mas que ainda não são imunocompetentes, os mais atingidos de forma mortal. No entanto, também os cães adultos não vacinados são susceptíveis à doença. Por volta do 7º dia após a infecção é costume o animal a apresentar-se febril. Os problemas respiratórios e intestinais são os mais notórios e incluem:

- Tosse;
- Diarreia;
- Vómitos;
- Corrimentos nasais e oculares;
- Hiperqueratose (espessamento da pele) do nariz e almofadinhas plantares;
- Cegueira, caso o vírus se aloje na retina;
- Irregularidades na superfície dos dentes podem aparecer devido a deficiente formação do esmalte.

Sintomas relacionados com o sistema nervoso central costumam seguir-se aos sinais clínicos anteriores. Os distúrbios neurológicos como a agressividade, desorientação, apatia ou convulsões são frequentes. O animal pode apresentar-se desidratado devido ao vómito e diarreia e magro e fraco por falta de apetite mas, em muitos casos, o desenvolvimento da doença é tão agudo que a forma física é mantida.

Diagnóstico

O diagnóstico da esgana baseia-se essencialmente nos sinais clínicos e na observação de corpos de inclusão específicos em células do sangue periférico ou nas secreções oculares e nasais, o que pode ser feito na clínica usando um simples microscópio óptico. No entanto, o diagnóstico definitivo só pode ser dado por análises laboratoriais usando tecidos afectados e técnicas de fluorescência em anticorpos, PCR, ELISA e isolamento viral.
Tratamento

Esta doença não tem tratamento. A única coisa a fazer é dar suporte vital ao animal de modo a que o organismo consiga ultrapassar o período crítico. Administram-se antibióticos para prevenir as infecções secundárias por bactérias, protectores intestinais, anti-eméticos e anti-diarreicos. A desidratação é corrigida pala administração de soro intravenoso. Os anticonvulsivos podem ser usados no caso de existirem afeccções neurológicas.
Prognóstico

É muito variável e depende do vírus e do sistema imunitário do animal. Depois de se iniciar a febre a doença pode progredir de diversas formas. 50% dos animais infectados morrem nas 2 semanas a 3 meses seguintes, normalmente por afecções do sistema nervoso. Os que recuperam podem desenvolver mais tarde este tipo de problemas ou não.

Os que têm apenas sintomas respiratórios e gastrointestinais podem demorar vários meses a recuperar mas ficarem completamente curados. Uma vez desaparecidos os sintomas deixam também de excretar o vírus. Há ainda a possibilidade de, em cães com um sistema imunitário poderoso, não se notarem quaisquer sinais de doença.

Controlo

Os cães que sobrevivem a um episódio de esgana normalmente ficam imunizados para toda a vida mas o melhor é verificar fazendo anualmente uma titulação de anticorpos.

O controlo da doença depende da vacinação de todos os cães, da diminuição de populações caninas errantes e da higiene que deve ser mantida na via pública. A vacina funciona bem mesmo em cães que já foram expostos ao vírus.
Assim, se suspeitar que o seu esteve em contacto com outros que possam estar doentes não hesite em levá-lo ao veterinário o mais rapidamente possível. A primeira vacina deve ser administrada entre as 6 e as 8 semanas de vida seguindo-se pelo menos 2 reforços com 3 semanas a um mês de intervalo. Depois desta primovacinação a revacinação deve ser anual.

Os cães não vacinados são susceptíveis a esta doença pelo que a vacinação anual é recomendada.

Apanhar as fezes do seu cão e exigir que os outros membros da sua comunidade façam o mesmo é dos factores mais importantes no controlo da esgana.

O vírus é facilmente inactivado pela luz do sol ou qualquer fonte de calor. Quanto à limpeza e desinfecção de objectos e superfícies que possam estar contaminados a inactivação do vírus faz-se pela formalina ou por uma solução concentrada de lixívia.

12/08/2008

C. Leitor - Maldito veneno

Na sequência do artigo publicado pela Sra. D. Mara Gouveia, a 26 de Julho, e tantas outras pessoas que indignadas com histórias de envenenamentos resolveram dizer de sua justiça e dedicar umas linhas a este espaço, venho desta forma, e à semelhança do que já antes reportei, dizer o quanto estas situações revoltam-me terminantemente.

Essa "gente sem coração", de que fala a D. Mara, não residem apenas no Porto da Cruz mas infelizmente são ervas daninhas que proliferam a olhos vistos um pouco por toda a ilha.

Devem com certeza achar que são reis e rainhas da sua aldeia e que lá moram sozinhos. Autênticos nómadas que não permitem que nada nem ninguém invada o seu tão proclamado espaço ou que de alguma forma se atravessem no seu caminho.

Caso semelhante tem ocorrido ciclicamente à Vereda do Pico do Funcho, em São Martinho, onde, no espaço de um ano, foram envenenados 4 cães, todos eles pertencentes à mesma residência e todos com o mesmo padrão. Na calada da noite, alguns vizinhos, ressabiados e possivelmente com insónia, atiram veneno na esperança de que algum animal o ingira, e lamentavelmente, esse acto vil tem sido bem sucedido.

Não consigo imaginar a dor de uma família que, ao acordar pela manhã, vê sistematicamente este mesmo cenário de horror, nada mais lhes restando fazer senão assistirem incredulamente ao definhar dos fiéis amigos. Depois de uma noite de agonia, em poucos minutos não mais resistem e rendem-se ao efeito do maldito veneno.

Recuso-me a entender o que move este tipo de "gente" e o mais incrível é o facto de muitos destes a quem me refiro terem cães e gatos nas suas próprias residências. Já para não falar na existência de crianças!!

Atirar veneno para os quintais alheios é altamente condenável e como tal deveria ser severamente punível pela Lei. Lamentável é nunca haver provas palpáveis ou testemunhas oculares que denunciem semelhantes actos, de maneira a terminar com estes cenários de ódio e ressabiamento.

Desejo que cada um tenha o que merece, pois estou certa que a vida dá muita, mas mesmo muita volta.

Como afirmou o Sr. Donato Macedo na data em epígrafe, e a propósito das nossas festividades centenárias, "esperemos mais 500 anos de evolução, sobretudo no que concerne às mentalidades".

Xana Abreu

Furto de animais - Ao ponto que se chega...


A dona da 'China' disse que o animal desapareceu de casa na passada quarta-feira

Furto de animais domésticos motiva queixa na PSP
As suspeitas recaem sobre um toxicodependente que reside na zona do Garajau


O desaparecimento de animais domésticos na zona do Garajau já deu origem a várias queixas na esquadra da PSP de Santa Cruz e, mais recentemente, na esquadra do Funchal.

Os moradores contam que não só desaparecem gatos mas também pássaros e, até, coelhos. O último caso aconteceu na quarta-feira passada, na Rua Tristão Vaz Teixeira, nº 167, no Garajau, com o desaparecimento de uma gata ('China'), de cor cinza, quando se encontrada na residência.

Lucília Ferreira, dona da gata, contou ao DIÁRIO que estranhou a ausência do animal porque "sempre foi caseiro e nunca se afastou de casa uma vez que fosse".

A mulher tem o animal há dois anos, altura em que o adoptou porque estava abandonado na Sociedade Protectora dos Animais Domésticos (SPAD). Ao se aperceber de que a gata tinha desaparecido, fez uma ronda pela vizinhança para perguntar se alguém sabia do paradeiro.

Só nessa altura teve conhecimento que o desaparecimento de animais no Garajau tem sido uma constante. "Ultimamente têm desaparecido animais de estimação como cães, gatos, coelhos, pássaros", fez questão de enumerar.

Lucília adiantou ainda que costumam ser normalmente animais de raça ou bastante bonitos. Apesar de não haver certezas sobre o ladrão, as desconfianças recaem sobre um indivíduo que é toxicodependente e que para obter dinheiro "vende tudo aquilo que consegue deitar a mão", explicou. Trata-se de um "tipo muito hábil, que engana as pessoas com a maior das facilidades", adiantou.

É com muita mágoa que Lucília encara o desaparecimento da gata de estimação. Daí que peça a quem tenha comprado animais ao indivíduo que os entregue à SPAD, na Polícia ou, até mesmo, na casa de Lucília, no Garajau.

Apesar de tudo, a dona da gata está ainda confiante no aparecimento do animal, já que este possui um microchip de identificação.

Lucília Ferreira fez questão de salientar também que não quer "arranjar problemas a ninguém", sendo que a única coisa que deseja é mesmo reaver o animal.

"Estou disposta a reembolsar as pessoas pelo preço que pagaram pela gata. Mas não descansarei enquanto não a encontrar". E adiantou: "Se alguém bem intencionado a comprou, ao ter conhecimento deste caso, de certeza que a devolverá".

In dnoticias.pt

11/08/2008

Só mesmo de cão...que incríveis que eles são!

Cão radical :)



Lealdade a um Amigo!

Um cão foi visto no meio de uma movimentada avenida tentando cuidar de um amigo que tinha sido atropelado.
Usando as patas tentava 'acordá-lo'... mas este estava já morto. O cão tentava empurrar o seu amigo para fora da estrada. Quando alguém se aproximava para ajudar, ladrava-lhes para os impedir de chegar perto. Apesar do tráfego intenso, não abandonou o seu amigo.

É em situações como estas que se reconhecem os verdadeiros amigos.

Uma lição de vida, sem dúvida.




C. Leitor - Animais abandonados

Paula Gouveia
Animais abandonados
Data: 11-08-2008

Quase diariamente são publicadas nesta secção cartas relacionadas com mau tratos e abandono de animais.

No entanto, são muitas as pessoas que os têm e os tratam bem. Só que ao levarem os mesmos a passear, esquecem-se de se fazer acompanhar do material necessário à limpeza da "porcaria" que os mesmos vão deixando ao longo dos passeios.

A Rua Dr. Ângelo Augusto da Silva, em toda a sua extensão, é um exemplo flagrante do que afirmo. Nesta Rua circulam imensas pessoas a fazer as suas "caminhadas", tendo, para esse efeito, de andar a saltitar, tal é a imundície nela existente.

Pede-se às autoridades competentes que ponham travão a esta pouca-vergonha, pois além do péssimo aspecto, constitui um atentado à saúde pública.

In dnoticias.pt

Na minha humilde opinião e sobre a temática em causa, aponto não só o dedo aos donos que sem higiene ou cuidado, deixam lá ficar a dita "porcaria", como também vinco que da mesma forma que encontramos recipientes de lixo um pouco por toda a parte, deveriam haver mais postos de recolha de sacos destinados a este fim.

No entanto, recordo-me que já antes foi falado nas cartas do leitor que na zona da promenade do Lido por exemplo, estes postos efectivamente existem, mas nunca lá existem sacos o que inviabiliza a recolha dos dejectos caso os donos não venham devidamente preparados para tal.

Assim sendo e a meu ver, a solução passa pela instalação destes postos de recolha e alguma supervisão no fornecimentos dos respectivos sacos, para que a via pública de uma forma geral seja minimamente transitável e os cães não sejam alvo da revolta de quem lá circule.

08/08/2008

Insensibilidade para com os animais

De há alguns meses a esta parte que vim observando a vida de um cão pequeno, cor branca, com manchas castanhas, numa das promenades da zona Este da nossa Ilha.

Tendo perdido o seu lar, logo foi reconstruindo o seu novo ritmo de vida. Então, permanecia nas proximidades da porta de acesso à piscina da unidade hoteleira existente. Ficava deitado, por vezes passava despercebido. Com frequência via-o a acompanhar os turistas (lembro um casal de turistas que foi para o cais pescar e o cão sempre permaneceu ao seu lado). Os turistas acariciavam-no, ou arranjavam alguma comida e davam-lhe. Também o vi junto das crianças que lhe davam bolachas ou um pouco de gelado.

Este cão que fora abandonado, logo continuou a sua vida criando laços com muitas pessoas de outras culturas que escolheram o nosso destino para férias e aquele local para permanecer. Certamente, ele pressentia que essas pessoas eram sensíveis à sua vida. Algum tempo depois vi que tinha uma das patas traseiras que indicavam ter sido atropelado, pois não conseguia apoiá-la no chão, e embalançava.Falei com vários turistas que ficavam junto do cão, pois mostravam-se preocupados pela sua situação, e que me disseram que uma pessoa estava a dar-lhe medicação.

Soube, posteriormente, que essa pessoa era um membro da organização de protecção dos animais "PATA" . Fiquei feliz por ver que aquele cão era feliz, pois ele estava a reconstruir a sua vida… Sempre que percorria aquela promenade sentia uma ansiedade, não fosse alguém fazer mal ao cão.

Num destes dias, percorrendo a promenade, não vi sinais do cão e perguntei a alguém se o tinha visto, e me disse que tinham-no levado numa caixa. De repente senti uma profunda tristeza e pensei: Se tivessem perguntado aos muitos turistas que o acariciaram e lhe deram comida o que deveria ser feito ao cão, estou certo que o continuariam a proteger. Afinal, a vida que aquele cão estava a reconstruir, criando laços e dando um sentido de essência da vida para quem tivesse a sensibilidade de o observar.

Lamento, que alguém desconhecendo os laços que aquele cão criava, dia após dia, naquele local, porventura, sendo insensível, lhe tenha interrompido a vida… Ainda bati no meu peito "mea culpa", pois deveria ter contado esta situação a alguém jornalista, que construiria uma bela reportagem sobre este reconstruir de vida de um cão.
O cão, espontaneamente, criou laços que alguns humanos não foram sensíveis para ver e interpretar… É profundamente triste e inaceitável…


João Freitas 08/08/08
In cartas do Leitor - dnoticias.pt

Imagens espectaculares

Brindo-vos com estas imagens fantásticas que muito me fascinam.

Já antes partilhei convosco o meu gosto por fotografia e por imagens deste género de cortar a respiração, por isso aqui ficam!

São quanto a mim, autênticos wallpapers :)





Content Copyright ©2009-2011 - Powered by Xana Abreu