20/06/2008

Artigos publicados nas "Cartas do Leitor"

Partilho convosco alguns dos meus artigos publicados na rubrica das "Cartas do Leitor", maioritariamente como consequência de um acto ou texto que de alguma forma me tenha indignado ou simplesmente chamado a atenção!
Adoro escrever e ainda mais sobre uma temática que adoro..só lamento que nem sempre seja pelos melhores motivos, mas além de não poder deixar certas e determinadas coisas passarem em branco, espero com isto passar a palavra e sensibilizar cada vez mais as pessoas no sentido delas cada vez mais se preocuparem com algumas injustiças e crueldades que a nossa sociedade tristemente vai cometendo.

Indignação

Confesso que fiquei absolutamente indignada com o artigo publicado na revista do DN no passado dia 5 do corrente, intitulado: "A crueldade chegou à Diana".Este artigo relata a história e vida em traços gerais de um cadela Labrador, que protagonista de um altruísmo singular foi alvo de uma inveja desmedida que a levou a ser envenenada.Em falta de justiça divina ou da exercida em tribunais, a vontade é com certeza fazê-la pelas próprias mãos em "legítima defesa" por quem, indefeso por natureza, fica sujeito a actos vis e degradantes como o referido.É de lamentar que numa sociedade como a nossa, ainda haja quem cometa este tipo de atitudes cuja inveja desencadeia sentimentos controversos que os levam a ceifar a vida indiscriminadamente de inocentes.Vi-me pois na obrigação de manifestar a minha revolta com o sucedido e ao Sr. Gabriel Basílio e família louvar o vosso amor incondicional bem patente no artigo publicado e dizer que subscrevo todo o vosso sentimento de revolta e indignação.
07-11-2006

Cães no corredor da morte"

"Incansável que sou no que concerne à defesa dos animais fiquei absolutamente indignada e desapontada com o artigo "Cães no corredor da morte" publicado na edição de 20 de Julho.Compreendo que o canil da Vasco Gil esteja lotado. Não compreendo é que face a esta triste realidade, as pessoas não se sintam decididas a colaborar adoptando um cão, salvando-o assim de um fim cruel. Sou irredutivelmente contra o abate principalmente quando o motivo é a falta de espaço. No entanto o abandono acontece de tal forma, que os cães multiplicam-se e o espaço disponível naturalmente não acompanha este ritmo. Inauguram-se lojas e espaços comerciais a um ritmo avassalador. O nosso governo "patrocina" causas certamente menos nobres quando tem toda a legitimidade de avançar com um projecto semelhante que acolhesse cães abandonados, repartindo assim essa responsabilidade com a SPAD. Não quero com isto desculpabilizar as pessoas, de maneira nenhuma. Gostava antes de tentar entender a moda do "cão de raça" com o pedigree que faz com que um rafeiro mereça ser abandonado num canto. É necessário que as pessoas se consciencializem que o abate é iminente caso continuem incompreensivelmente a abandoná-los.Venho desta forma, e uma vez mais, apelar às pessoas para que adoptem outra postura nesta matéria e que saibam avaliar a responsabilidade de adquirir um cão antes de irracionalmente acabarem por deixá-lo à esquina.À SPAD apelo para que promovam campanhas de adopção com mais frequência para tentar passar a importância dessa mensagem às pessoas. Algumas das campanhas levadas a cabo à entrada do Madeira Shopping foram reconhecidamente um sucesso, pelo que sugiro que voltem a abraçar este projecto. E porque não organizar este tipo de campanhas distribuídas por várias freguesias contando com o apoio do vosso regime de voluntariado? Não deixem de criar estas iniciativas, pois isso, por si só, poderá salvar muitas vidas!!!" ...
Data: 02-08-2007

Fanatismo animal

"A estupidez humana é ilimitada". Começo por partilhar a minha perplexidade com o vasto leque de leitores que têm com certeza vindo a acompanhar algumas barbaridades escritas relativamente à dedicação (alegadamente) exagerada de todos aqueles que defendem os direitos dos animais. Tenho vindo a conhecer mais irracionalidade por parte dos "seres que Deus pôs no mundo" do que pelos animais propriamente ditos. A legião de animais de duas patas, e não de quatro, tem vindo a se propagar a olhos vistos nestes últimos anos, sendo para isso necessário apenas folhear o diário, ver o telejornal, andarmos na estrada etc.. As críticas tecidas à loja que comercializa peles autênticas de animais têm o meu apoio absoluto e incondicional. A era do "Homo sapiens" que dependia das mesmas para fazer face às baixas temperaturas já lá vai e graças a nos encontrarmos presentemente no Séc. XXI, a desculpa do frio já não é válida, restando quando muito a da excentricidade e futilidade. Contrariamente ao que entretanto surgiu, o intuito da revolta não é subterfúgio para denegrir a imagem e espírito inovador de pessoas empreendedoras!! Aqui o intuito é única e exclusivamente fazer valer os direitos dos animais e abolir a desumanidade de comercializar as suas peles para ornamentar pescoços atrofiados e deselegantes. Como diria alguém: enfim... Inteligências! Um fanatismo bem triste para os dias de hoje, comentário que se encaixa na perfeição a este contexto. Quanto à tradição secular das touradas, considero absolutamente incompreensível o espectáculo que se cria em torno de uma perseguição atroz, de uma tortura lacerante e morte lenta do "bobo da corte" que ao lutar infrutíferamente pela vida, faz as delícias de um público sádico e sedento para o seu desfecho agonizante. Mas seja como for e como diz o zé-povinho: "Lavar a cabeça a burros, é perder tempo e sabão" pelo que... tenho dito!! .
Data: 14-12-2007

Gato atropelado

Antes de mais, teço os meus mais rasgados elogios ao carácter altruísta, dedicado e incansável da Sr.ª D. Natália Vieira que, aos dias 30 de Maio, mostrou a sua mais profunda indignação na sequência de um atropelamento atroz registado nas Madalenas. Li algures que "a nobreza e cultura de um povo se vê pela forma como tratam os seus animais", o que nos posiciona certa e lamentavelmente na cauda da Europa (neste e noutros tantos aspectos). Não resolvi manifestar-me desta forma para abrir um precedente e dar origem à já conhecida bola de neve do contra-ataca das cartas intermináveis, simplesmente acho legítimo dizer que o(a) proprietário(a) dessa viatura mais não passa do que um atentado à saúde pública e esperar que ele(a) próprio(a) um dia não passe por uma situação semelhante. Eu própria, apesar de nunca baixar os braços na minha cruzada em prol da defesa dos animais, reconheço que há efectivamente casos perdidos, e como tal de nada serve apelar ao (inexistente) bom senso de alguns. Com certeza essa criatura não terá sofrido de insónias nessa noite nem terá mostrado qualquer sinal de arrependimento pela atitude. Apesar da agonia sofrida pelo pobre gato, estou certa ainda assim que, graças ao seu gesto, ele se terá sentido mais aliviado por ter sido recolhido e socorrido. O desfecho é francamente triste mas depois da fractura causada, pouco haveria com certeza a fazer e assim poupou-se (ainda) mais sofrimento. Aplaudo-a de pé, D. Natália, que no meio desta triste notícia é quem me faz ter esperança num futuro mais próspero e risonho para com estes seres fiéis e dedicados. Obrigada por ser quem é!. Data: 01-06-2008

2 comentários:

Rita disse...

Xana, pode colocar o meu Simba no seu BLOG, será uma oportunidade para a consciencialização no RESPEITO DOS ANIMAIS.
Existe uma lei, que se aplique doa a quem doer., Se necessitar de um documento mais resumido, posso elaborar, mas no blog do Simba. está o essencial. Se não conseguir copiar envio-me um email para o endereço ritaferreira300@gmail.com

Xana Abreu disse...

Olá Rita e obrigada pelo seu comentário.
No que depender de mim, darei a conhecer a sua história de coragem e determinação para com o Simbinha!

Content Copyright ©2009-2011 - Powered by Xana Abreu